Curiosidades

Descubra a diferença entre Café Arábica e Café Robusta (Canephora)

By 11 de dezembro de 2020 No Comments
Descubra a diferença entre Café Arábica e Café Robusta

Se você gosta de café e é curioso sobre o assunto, já deve ter ouvido falar de café 100% arábica e café conilon, mas você sabe exatamente o que são esses grãos? Se um café não é 100% arábica é o que, então? Aliás, café é tudo a mesma coisa?

Para responder essas questões, vamos entender um pouco mais sobre o cafeeiro e o que cada espécie tem de especial e traz de benefício ao seu cafezinho.

O Café é pertencente à família das Rubiaceae, do gênero Coffea. Das centenas de espécies existentes, apenas duas arcam com o imenso prestígio de 2ª commodity mais comercializada no mundo: Café Arábica e Café Robusta (Canephora).

O Café arábica é a principal espécie, mais produzida, comercializada e valorizada no mundo, principalmente pelas suas características sensoriais que tanto nos encantam.

O Café canéfora, comumente chamado de Robusta, tem na variedade conilon – principal representante aqui no Brasil. Suas características sensoriais são menos intensas que no arábica. Por outro lado, tem mais cafeína e ácidos clorogênicos (antioxidantes), sendo também uma planta mais resistente às diversidades hídricas. O café conilon tem mais sólidos solúveis (a quantidade de compostos que podem ser extraídos e ficam dissolvidos na água) e faz com que seja majoritariamente usado na indústria de café solúvel. Sua composição também favorece a formação da espuma e a sensação de encorpado em alguns blends de café espresso.

Café Arábica e Robusta: cada um com suas características

Como cada um tem suas próprias características, é bastante comum a formulação de blends (misturas entre variedades e espécies) de acordo com o resultado esperado para cada tipo de bebida.

Mas, podemos dizer que um é melhor que o outro? Isso depende, pois essa comparação só seria justa se considerássemos as duas espécies produzidas e processadas da forma mais adequada possível. Assim a escolha poderia ser técnica (melhor para solúvel, por exemplo) ou sensorial (café com aroma e sabor mais intensos). O café arábica de alta qualidade, pelas características sensoriais, tem maior valor comercial que um robusta também de alta qualidade. Mas é possível encontrar conilon de alta qualidade bem mais caro que arábicas de qualidade mais baixa. Isso não depende das características intrínsecas da planta, mas sim do seu cultivo e processamento pós colheita. Esses dois últimos fatores, são os grandes responsáveis pelas variações de qualidade, características sensoriais e, consequentemente, preço do café.

Café é tudo igual?

Assim, respondendo às questões iniciais:

Se um café não é 100% arábica, ele deve ser um blend entre arábica e conilon, mas ambos precisam ser de boa qualidade, para garantir o aroma e o sabor apreciados na bebida. Normalmente, até 20% de café conilon num blend, pouco altera a percepção sensorial do aroma e sabor do arábica.

Portanto, não, café não é tudo igual! Mais do que as espécies e variedades, a qualidade no cultivo e processamento dos grãos são fundamentais para a extração de uma boa bebida!

E isso, nós do Café Carneiro, garantimos a você!

 

Entenda algumas das diferenças entre o café arábica e o robusta:

Tabela: Comparação entre café arábica e café robusta.

  Parâmetros ARÁBICA ROBUSTA/Conillon
Produção Produção mundial exportável 75% 25%
Principais países produtores Brasil, Colômbia, México, Quênia Brasil, Vietnã, Indonésia, Costa do Marfim
Características da planta Tamanho do arbusto (m) 2,5 – 4,5 4,5 – 6,5
Folhas Pequenas ovais Grandes, mais claras
Flores Pequenas Grandes
Formato da semente Ovalada Arredondada
Tamanho da semente (mm) 5 – 13 4 – 8
Clima Ideal Temperado (19 – 22oC) Equatorial (22 – 26oC)
Altitude (m) 600 – 2200 0 – 800
Principais diferenças na composição do grão (% base seca*) Cafeína 1,2 2,2
Carboidratos 58,9 60,8
Ácidos clorogênicos 6,5 10,0
Lipídios 16,0 10,0
Minerais 4,2 4,4
       
Características sensoriais Aroma e Sabor Aroma e sabor mais intensos, Amargor e acidez balanceados

Notas achocolatadas, amendoadas, frutais e de melaço

Aroma e sabor mais suaves

Mais amargo e menos ácido

Notas amadeiradas e terrosas que lembram alguns cereais

*descontando o percentual de umidade do grão

 

Não deixe de nos acompanhar em nossas redes sociais para ficar por dentro das curiosidades do café! @cafecarneiro

Tem alguma sugestão ou deseja conhecer o sabor único do nosso café? Clique aqui

Fontes:

ILLY, A.; VIANI, R.  Espresso Coffee – The Chemistry of Quality.  Academic Press Limited, London, 3rd. 1998.

MATIELLO, J. B.  O café: do cultivo ao consumo.  Coleção do Agricultor (Grãos). São Paulo: Globo, 1991.